quarta-feira, 5 de abril de 2017

Homem-Dragão


O Homem-Dragão é um personagem fictício dos quadrinhos da Marvel Comics, inimigo do Quarteto Fantástico. Ele é um ser humanoide artifical com aspecto de dragões lendários, que recebeu vida por intermédio da alquimia. Foi criado por Stan Lee e Jack Kirby para ser oponente do Quarteto Fantástico na revista Fantastic Four #35 (fevereiro de 1965).

Em sua primeira aventura, o Homem-Dragão é um poderoso andróide construído pelo Professor Gregson Gilbert da Universidade Empire State em um experimento. Gregson esperava criar vida artificial. Fracassava até que se encontrou com o vilão alquimista Diablo, que conseguiu dar vida ao andróide usando seus super-poderes sobrenaturais. Depois, o Homem-Dragão escapou do controle e tentou matar Diablo.

O Homem-Dragão não consegue falar mas entendia as ordens de Diablo e se tornou um forte inimigo do Quarteto Fantástico (contudo nutria uma certa afeição por Sue Richards). Ele não possui uma natureza perversa, mas é facilmente manipulado e sempre reage com violência.

Depois de escapar de Diablo, ele se encontrou com Medusa e Gorgon e juntos lutaram contra o Coisa e o Tocha Humana.


Tempos depois, o Homem-Dragão foi estudado por Henry Pym em seu laboratório. Ele voltou a vida novamente por intervenção de Diablo e foi derrotado por Pym que nessa época usava o traje de Golias. A criatura escapou. Hércules e os Vingadores destruiriam um exército de Homens-Dragões criado por Diablo.

Os X-Men encontraram a criatura e a trataram como seu mascote durante algum tempo. Dessa vez ele se afeiçoou a Jean Grey.

Posteriormente o Homem-Dragão voltou para a posse do Professor Gregson Gilbert e foi enviado por Lemuel Dorcas para atacar Namor. Sob o controle de Gregory Gideon ele voltou a atacar o Quarteto Fantástico. Virou capanga de Mecanus e lutou contra o Capitão América. Em outras aventuras, lutou contra o Hulk sob o comando do Mestre do Picadeiro do Circo do Crime. e foi encontrado pelo Quarteto Futuro. Nessa história, Gregson Gilbert tentou replicar sua criação sem o uso da alquimia e conseguiu ser bem-sucedido, criando um grande número de dragões androides.

O Homem-Dragão foi usado ainda como servo por Aron, o Vigia renegado. e lutou contra o Homem-Aranha em Atos de Vingança, quando foi controlado pelo Mago.

Em Spectacular Spider-Man #235-6, a Companhia Roxxon desenvolveu uma fábrica para criar super-soldados baseados no Homem-Dragão e tentou capturá-lo para dissecação. Ele foi ajudado por Ben Reilly, o mais famoso clone do Homem-Aranha.


Alyosha Kraven começou a colecionar homens com super-poderes de animais e também animais super-poderosos: ele aprisionou Bushmaster (Quincy McIver), Gárgula (Isaac Christians), Tubarão Tigre, Canguru (Brian Hibbs), o cavalo Aragorn, Abutre, Mangusto, Man-Bull, Enxame, Mandril, Urso Pardo (Maxwell Markham), Homem-Sapo e Rino. O Justiceiro sabotou o zoo mas Kraven fugiu para Terra Selvagem.

Em Avengers: The Initiative #8, o Homem Dragão foi capturado por heróis em treinamento.


Poderes e habilidades

Os poderes do Homem-Dragão foram conseguidos através de uso de materiais robóticos inseridos em sua construção, bem como de poções desconhecidas preparadas por Diablo. A criatura é muito forte e resistente, rivalizando com os herois mais poderosos tais como Hercules e o Hulk. Ele voa com suas asas (ajudado por dois geradores antigravidade para a propulsão) e solta fogo pela boca. Exala gás metano (produzido pelo seu sistema digestivo). Suas chamas são quentes o suficiente para derreter ferro. Graças a magia, a criatura nunca fica cansada.

O Homem-Dragão é vulnerável ao frio intenso e a certas frequência ultra-sônicas.



terça-feira, 4 de abril de 2017

Fairy Tail: Dragoncry (Trailers)

O 2º filme de Fairy Tail, subintitulado "Dragon Cry" estréia dia 06 de maio de 2017 nos cinemas japoneses. O filme abordará um local chamado Dragon’s Tomb, uma espécie de cemitério de dragões, onde se encontra um poder adormecido chamado Dragon Cry, e que caso seja desperto, poderá destruir todo o mundo.

Confira abaixo os trailers que sairam até o momento:





Abaixo o pôster oficial do filme, que mostra Natsu Dragneel em uma forma híbrida de dragão.


segunda-feira, 3 de abril de 2017

Stratovarius - Dragons



You wanna go to heaven but you never want to die
(Você quer ir para o céu mas nunca quer morrer)
A silent scream for freedom turn to
(Um grito silencioso por liberdade vira)
Fire turn to water turn to
(Fogo, vira água, vira)
Stone’s the same, the sky’s the same, it doesn’t roll away
(Pedra é o mesmo, o céu é o mesmo, ele não muda)

The other side where life goes on is
(O outro lado onde a vida continua está perto)
Close and yet you know it’s just a lie
(Mas você sabe que é só uma mentira)

But you’re stronger than they are
(Mas você é mais forte do que eles)
Feel the wind in your hair
(Sinta o vento em seu cabelo)
And you’re faster than they are
(E você é mais rápido do que eles)
And it feels that you’re lighter than air
(E parece que você é mais leve do que o ar)

When you’re drawn to the ground by the dragons
(Quando você é atraído para o chão pelos dragões)
Would you raise up your head, would you gaze at the sky
(Você ergueria sua cabeça, você olharia para o céu?)
When you’re drawn to the ground by the dragons
(Quando você é atraído para o chão pelos dragões)
Would you raise up your head, would you cry
(Você ergueria sua cabeça, você choraria?)

And all the wicked prisons that they built inside your mind
(E todas as prisões cruéis que eles construíram em sua mente)
And all the wicked borders that unite us, that divide us, until
(E todas as fronteiras cruéis que nos unem, que nos dividem, até)
Death ever different will embrace us in the end
(que a morte sempre indiferente nos abrace no final)
But roll away the stone, and hear the
(Mas role a pedra, e ouça)
Wind will whisper out your name
(O vento irá sussurrar o seu nome)

But you’re stronger than they are
(Mas você é mais forte do que eles)
Feel the wind in your hair
(Sinta o vento em seu cabelo)
And you’re faster than they are
(E você é mais rápido do que eles)
And it feels that you’re lighter than air
(E parece que você é mais leve do que o ar)

When you’re drawn to the ground by the dragons
(Quando você é atraído para o chão pelos dragões)
Would you raise up your head, would you gaze at the sky
(Você ergueria sua cabeça, você olharia para o céu?)
When you’re drawn to the ground by the dragons
(Quando você é atraído para o chão pelos dragões)
Would you raise up your head, would you cry
(Você ergueria sua cabeça, você choraria?)


quarta-feira, 29 de março de 2017

Treva, A Renovadora





Treva é um dragão-fêmea presente no jogo de cartas Magic: The Gathering. Ela foi um dos cinco Dragões Primordiais, ao lado de Rith, Rhammidarigaaz, Crosis e Dromar. Seu nome significava "juventude" na antiga língua dracônica, e ela era conhecida como "A Renovadora".

Treva era um dragão branco brilhante com escamas que mais se parecem com penas. Com força total, ela consegue disparar um raio de luz pura capaz de cortar até mesmo aço. Treva foi capturada pelos Numena em Argive, onde foi crucificada nas profundezas da antiga biblioteca da cidade. No entanto, milênios depois, ela foi libertada por Rith e Rhammidarigaaz através do sacrifício de quatro senhores dragão (um de cada cor exceto o vermelho) das Nações do Dragão.

O destino de Treva após a derrota de Rhammidarigaaz, Rith e Crosis é desconhecido. Ela e Dromar foram vistos pela última vez fugindo dos destroços das Nações do Dragão, uma vez que os dois eram incapazes de manter o controle mental sobre os dragões como o panteão completo de dragões primordiais era. Por isso, o mais provável que ela tenha sido recapturada ou morta logo depois.

terça-feira, 28 de março de 2017

Dragões do Zodíaco - 2016

Créditos das imagens: Christina Yen


 Áries


Touro

Gêmeos

Câncer

Leão 

Virgem

Libra

Escorpião

Sagitário

Capricórnio

Aquário

Peixes

Serpentário

segunda-feira, 27 de março de 2017

Nicol Bolas


Nicol Bolas é um personagem do jogo de cartas Magic: The Gathering. Planinauta, Dragão Ancião e Tiranos de Mundos, Nicol Bolas é um dos seres mais antigos do Multiverso, com vários milênios de vida. Sua malevolência é tão imensa quanto sua inteligência ilimitada.

Milhares de anos antes da Guerra dos Irmãos, os Dragões haviam travado uma grande batalha, denominada Guerra dos Dragões Ancestrais. Nicol Bolas, junto com seus irmãos Arcades Sabboth, Chromium Rhuell e Palladia-Mors e seu primo Vaevictis Asmadi, saíram vitoriosos do conflito e Nicol Bolas ascendeu como o primeiro planinauta de Dominária.

Alguns milhares de anos depois, Nicol Bolas batalhou contra um leviatã demoníaco, cujo confronto durou uma semana e teve consequências catastróficas, pois reduziu seu reinado sobre a ilha de Madara a um terço de seu território original, além de criar a primeira Fenda Temporal. Bolas usou sua poderosa magia para vencer o duelo e, depois disso, o dragão comeu o corpo do adversário durante um ano inteiro, absorvendo os poderes do leviatã neste processo. Quando terminou, os restos do gigantesco oponente se tornaram o que seria conhecido como os Portões de Talon, os quais o dragão encara como um troféu de sua vitória na primeira batalha entre planinautas da história, retornando freqüentemente à Madara para relembrar e celebrar esse acontecimento.

Posteriormente, ainda na ilha, Nicol Bolas intitulou-se como "governante divino" e construiu seu Templo Imperial no ponto de intersecção de três linhas de mana (Azul, Preto e Vermelho), o qual era destinado a ser um lugar onde os representantes de toda Madara poderiam ter o privilégio de conhecer pessoalmente seu soberano.


Infelizmente, Nicol Bolas criou seu próprio pior inimigo, na forma de seu campeão imperial, Tetsuo Umezawa. O Dragão Ancião reinou por 400 anos, quando foi atacado por Tetsuo, desgostoso com o a tirania de seu mestre. Tetsuo destruiu o Templo Imperial, fazendo com que os destroços aniquilassem o principal regimento do exército de Nicol Bolas e restringindo seus planos de conquista à outros territórios. Como parte de seu estratagema, Tetsuo fugiu para um bolsão dimensional que ele havia descoberto acidentalmente tempos atrás, intitulado por ele mesmo como Plano de Meditação, e que fora usado para que treinasse seus poderes mágicos sem o conhecimento de seu mestre. Imerso em raiva, Nicol Bolas seguiu o rastro de Tetsuo e também adentrou neste plano. Porém, esta era a estratégia de Tetsuo e o dragão feito exatamente o que ele previra. Assim, uma armadilha mágica atingiu o Nicol Bolas durante a transição entre os dois planos, desabilitando seu poder de planinauta temporariamente e criando a vantagem necessária para que Tetsuo o derrotasse em combate e destruísse o corpo físico de Nicol Bolas. 

No entanto, assim como Tetsuo e talvez nem o próprio dragão ancestral não soubessem até aquele momento, um planinauta só pode ser completamente derrotado se sua centelha, a fonte de todo seu poder, for extinguida. Dessa forma, um resto fantasmagórico do poder de Nicol Bolas permaneceu na fenda temporal da costa de Madara, possibilitando que ele mantivesse contato com seus seguidores em Dominária enquanto seu corpo físico jazia falecido no Plano de Meditação.

Durante muito tempo, o planinauta-dragão aguardou em seu estado de etéreo, até que ele sentiu a presença de Teferi, que havia se perdido em uma outra fenda temporal e aproveitou-se que o feiticeiro estava separado de seus companheiros para ludibriá-los. Dessa forma, Nicol Bolas usou a centelha até então latente de Venser para canalizar a energia necessária para o seu plano de ressurreição física e retorno à Madara, o qual ele executou magistralmente, inclusive derrotando posteriormente o próprio Teferi. Por fim, o dragão ancestral partiu de Dominaria para Kamigawa, jurando uma terrível vingança contra a linhagem dos Umezawa e a qualquer um que algum dia tenha ajudado ou tido alguma ligação com eles.

Mais tarde, Bolas retornou mais uma vez para Madara, onde foi emboscado pelo planinauta Leshrac que queria batalhar contra o ele. Tratou-se de uma batalha épica, da qual a vitória pertenceu ao dragão e que resultou no aprisionamento de Leshrac na máscara do Myojin do Alcance Noturno e no uso da centelha de seu inimigo para fechar o portal de Madara.

Nicol Bolas sobreviveu também à Emenda, o evento que restaurou o Multiverso e mudou a natureza da centelha, custando a vida de vários planinautas. O planinauta-dragão deixou Dominária enquanto despedaçada, antes da Emenda, pois acreditava que não podia ser resgatada. "Preparei um lugar apropriado que me abrigasse caso necessário", disse ele antes de partir através dos Portões de Talon, acreditando que Teferi e seus companheiros não iriam conseguir evitar um colapso no Multiverso. Mas, ao contrário do que ele previa, a catástrofe das Fendas Temporais foi contida, embora tenha alterado a natureza da centelha dos planinautas. Dessa forma, como a maioria dos planinautas antigos que sobreviveram a este evento, Bolas perdeu uma porção significativa de seu poder.

Antes da Emenda, os planinautas eram metamorfos que nunca envelheciam, cujo poder era limitado apenas por sua experiência e conhecimento. Bolas viu esse poder quase divino ser arrancado de suas mãos, portanto fará tudo que puder para recuperá-lo. Mas isso vai exigir inúmeras estratégias e manobras, mesmo sendo ele o mais antigo e poderoso planinauta de todos. Para Nicol Bolas, todo o poder no Multiverso ainda não é suficiente.


Porém, Bolas talvez tenha acertado mais do que pensava em suas previsões. Seu "lugar apropriado" eram um dos cinco fragmentos de Alara, os quais Bolas vinha observando com atenção por décadas. Há tempos ele passou a recrutar agentes nos fragmentos — indivíduos, e até mesmo grupos inteiros, que executariam seu plano em segredo. Esses agentes têm espalhado as sementes da discórdia de modo sutil e oculto em cada fragmento, criando assim caos e conflito. Por quê? Apenas Nicol Bolas sabe a verdade: os fragmentos de Alara estão em convergência e formarão um único plano (fenômeno chamado de Confluência). E quando essa convergência se concretizar, Bolas espera ver uma guerra planar total por razões que só ele conhece.

Após estabelecer sua morada no fragmento de Grixis e se preparar para o momento em que ele iria usar a Confluência para recuperar seus antigos poderes. Dentre algumas de suas manipulações, destacaram-se: a ordem do Olho Celestial e Gwafa Hazid, fazendo-os disseminar a xenofobia e a desordem nas fronteiras das nações de Bant; Os Caçadores de Carmot, usados para espalhar a preocupação na população do fragmento com relação aos quase esgotados suprimentos de Etheriun e criar uma fervorosa procura por uma pedra de outro mundo chamada Carmot – revelado posteriormente que o Carmot e os cristais Sangrite de Jund são a mesma pedra; Malfegor, que seria usado para reunir e liderar o imenso exército de mortos-vivos, preparando suas hordas de zumbís para invadir os outros fragmentos e destruir qualquer oposição que pudesse aparecer; Rakka Mar, utilizada para incentivar as tribos guerreiras a buscarem por maiores “caçadas da vida”, que acabavam por extinguir muitas delas; Agentes em Naya responsáveis por matar o irmão de Ajani, estimulando cismas filosóficas dentro do império Nacatl. Bolas também influenciou Marisi em sua revolta dos Nacatl Selvagens, o que resultou na destruição da maioria das mais avançada sociedades e cidades Nacatl, fazendo a nação dos felinos regredir à selvageria.


Nicol Bolas então descobre que Tezzeret tomou o controle sobre um Consórcio Interplanar. O dragão ainda possuía suas habilidades mentais, que haviam sido utilizadas anteriormente para controlar muitas mentes, e foi atrás do artifíce, que por sua vez tentou utilizar Jace Beleren para anular o controle mental de Bolas. Esse evento teve um fim desastroso, com Bolas facilmente superando os dois planinautas em um confronto de poderes mentais os dois fugindo.

No final, após Jace derrotar Tezzeret em um duelo posterior e limpar sua mente, é revelado que todos os acontecimentos, na verdade, haviam sido planejados pelo dragão para que ele tomar o controle sobre o Consórcio e que Liliana Vess, que havia fingido ser amiga de Jace, na verdade trabalhava para Nicol Bolas. Bolas após todo o episódio, recuperou o corpo, agora sem mente, de Tezzeret para examiná-lo mas sem nenhuma finalidade explícita.

Os planos de Bolas então começaram a render frutos. Através de suas manipulações em todos os fragmentos de Alara, seu plano de causar uma guerra total por toda a Alara, agora reunida, fazendo com que obeliscos de mana surgissem por todo plano. Sarkhan Vol também se uniu a esse grupo de marionetes, ajudando o dragão a espalhar destruição por Naya. Isso fez com que o Maelstrom crescesse em grande magnitude, enquanto Bolas esperava o momento certo.

A busca de Ajani pelo assassino de seu irmão acabou por indicar Bolas como o culpado, fazendo com que eles entrassem em um duelo no meio da maior batalha de todas – o exército de zumbis de Malfegor contra os outros exércitos de Alara. Sabendo que não poderia derrotar o dragão sozinho, Ajani invocou a alma do próprio Bolas para lutar contra o dragão. Assim, uma batalha impensada ocorreu. Nicol Bolas e sua própria alma degladiavam-se em perfeita simetria. Cada movimento era imitado perfeitamente por sua cópia em uma batalha de poderosas magias e mordidas. De repente, em um forte brilho de luz, os dois Bolas sumiram. Desde então, é desconhecido o paradeiro de Nicol Bolas. Não se pode afirmar se está morto ou não, se venceu sua alma ou não. As únicas certezas que se tem são de que, se ele estiver vivo, ele pode estar mais poderoso que nunca, pois ele conseguiu absorver 99% de toda a energia do Maelstrom, e de que a ameaça que ele representava para Alara teve um fim, pelo menos por enquanto.


fonte: